quinta-feira, 7 de março de 2013

O belo trabalho do Pojeto Ecoassociados foi notícia na TV Clube com uma reportagem onde mostrou a primeira soltura de filhotes de Tartaruga marinha da espécie Eretmochelys imbricara (tartaruga-de-pente) no dia 24/01/2013. Foram soltos 102 filhotes. A Ecoassociados continua trabalhando e apresentando seus resultados positivos. Veja o vídeo abaixo.
video

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

ATENÇÃO ! A SELEÇÃO PARA ESTAGIÁRIOS DA TEMPORADA REPRODUTIVA 2012/2013 FOI ADIADA PARA O DIA 11 DE NOVEMBRO.

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

A Ecoassociados continua trabalhando!!

Ontem, dia 01, a Ecoassociados fez mais um registro de tartaruga morta. Da espécie Lepidochelys olivacea, uma adulta medindo 70cm de comprimento, sem cabeça e sem as nadadeiras, encontrada na praia de Merepe. O projeto vem realizando esses registros em todas as temporadas. A região é marcada pela pesca com redes de arrasto que continuam sendo uma ameaça constante para as tartarugas marinhas que utilizam essa área para alimentação e reprodução.

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Vaga pesquisador na área de cetáceos (baleias e golfinhos), região do Banco dos Abrolhos – BA

Instituto Baleia Jubarte (IBJ)       

        O IBJ é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), sem fins lucrativos que atua com educação ambiental, pesquisa e conservação de baleias e golfinhos.

Interessados VISITEM: 
http://www.agrobase.com.br/oportunidades/2012/04/vaga-pesquisador-na-area-de-cetaceos-baleias-e-golfinhos-regiao-do-banco-dos-abrolhos-ba/

Atenciosamente,
Equipe Ecoassociados.

domingo, 25 de março de 2012

Filhote de peixe-boi é resgatado na Amazônia e recebe cuidados


      Um filhote de peixe-boi com dois meses foi encontrado sem a mãe por pescadores de Barreirinha, no Amazonas, e encaminhado para o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), em Manaus.
         O Inpa tem um tanque de peixe-boi que abriga dezenas de animais. Grande parte deles são filhotes órfãos encontrados nos rios da Amazônia e debilitados pela falta de leite materno. Uma das causas de morte das mães é a caça predatória.
        O novo filhote, de 80 cm e 12 kg, foi alimentado com uma mistura láctea e está aparentemente saudável, segundo o Inpa. Ele ficará no instituto até o fim de semana e, em seguida, será encaminhado para o Centro de Preservação e Pesquisa de Mamíferos Aquáticos, do Instituto Mamirauá, localizado no município de Maraã, a 650 km de Manaus.

Fonte: G1




Atenciosamente,
Ecoassociados.

segunda-feira, 5 de março de 2012

Pesquisadores brasileiros desenvolvem método de previsão de enchentes

Por Gilberto Costa (Agência Brasil)
BRASÍLIA - Pesquisadores da equipe do cientista Antonio Donato Nobre, professor visitante do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e pesquisador titular do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), desenvolveram um modelo matemático que ajuda a prever a ocorrência de enchentes e o percurso que tomará o rio em caso de enxurradas.
'Conseguimos encontrar uma relação matemática que descreve uma propriedade física da paisagem, da topografia, que liga com a hidrologià, disse Nobre, ao falar sobre o modelo matemático Hand (sigla em inglês para altura acima da drenagem mais próxima da topografia). O método, chamado de paisagem inteligente, permite o entendimento da dinâmica da água do rio em caso de enchente.
Com o processamento matemático, os computadores, que dispõem de imagens do revelo captadas por ônibus espacial, desenham maquetes digitais e, assim, permitem a visualização nas zonas próximas dos percursos da água, que podem ser afetadas com uma eventual enchente. Segundo o cientista, essas zonas são as que têm possibilidade de cheia, as mais sujeitas a inundações. «É esse o mapa que nós oferecemos', resume Nobre.
Se a informação da maquete digital for comparada com imagens da efetiva ocupação dos terrenos (disponível no Google Earth), é possível saber quais ruas, residências, prédios comerciais e equipamentos públicos podem ser tomados pelo rio, em caso de cheia. 'A descoberta facilita visualizarmos a espacialização dos riscos', destaca o pesquisador.
As imagens das áreas vulneráveis, a previsão do comportamento do rio cheio, os dados sobre o volume de chuva e as condições de absorção do solo, junto com a previsão meteorológica, permitem que a Defesa Civil trabalhe antecipadamente e evite que desastres naturais provoquem mais mortes e acidentes. O sistema pode ser refinado conforme a resolução das imagens disponíveis e com o fornecimento de informações sobre o funcionamento das galerias pluviais nas cidades e o desmatamento em áreas de encosta.
Nobre disse à Agência Brasil que já foram produzidas maquetes digitais de todas as bacias da América do Sul e que já ocorre aplicações do método na Europa. O modelo matemático criado pelo cientista e equipe foi tema de três artigos publicados em revistas científicas internacionais, como o Journal of Hydrology, produzido em Amsterdam (Holanda), e disponível em inglês no site da revista.
Além de prever o comportamento dos rios em enchentes, o método da paisagem inteligente pode ser útil para a agricultura e o meio ambiente, ao apontar com mais precisão as áreas que precisam ser efetivamente protegidas e as áreas que podem ser usadas para a lavoura. 'É o jogo do ganha-ganha", afirma Nobre.
Apesar das possibilidades de uso para agricultura sustentável, na discussão do novo Código Florestal, os parlamentares não consideraram efetivamente a metodologia - a proposta voltou à Câmara dos Deputados, após sofrer modificações no Senado. 'Nossa pretensão é esclarecer a sociedade brasileira. Os políticos já estão esclarecidos', conclui o cientista.

Atenciosamente,
Equipe Ecoassociados.

ONG Ecoassociados - Conservação de Tartarugas Marinhas, Baobás e Recifes de Corais
Rua das Caraúnas, Porto de Galinhas -Ipojuca - PE

Email: ecoassociados@bol.com.br
Fones:             (81) 3552-1943       ou             (81) 8744-4265      
Twitter: @Eco_Ong
Facebook: Ecoassociados 


quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

1 – CROCODILOS ENGOLEM PEDRAS PARA NADAR

Por Bernardo Staut

Essa é a última postagem da Série de Curiosidades sobre os Animais.



       O estômago de um crocodilo é um tanto rochoso, por algumas razões. Para começar, o sistema digestivo do animal têm de tudo, incluindo tartarugas, peixes e pássaros, até girafas, búfalos, leões e (quando acontece uma briga territorial) crocodilos. Em adição a esse ecossistema, existem pedras também. Eles engolem grandes pedras que ficam permanentemente em suas barrigas. Dizem que elas são úteis para mergulhar. 


Atenciosamente,
Equipe Ecoassociados.


ONG Ecoassociados - Conservação de Tartarugas Marinhas, Baobás e Recifes de Corais
Rua das Caraúnas, Porto de Galinhas -Ipojuca - PE

Email: ecoassociados@bol.com.br
Fones: (81) 3552-1943 ou (81) 8744-4265
Twitter: @Eco_Ong
Facebook: Ecoassociados 

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

2 – LEITE DE BALEIA NÃO É DIETÉTICO

        
        Cuidar de um recém-nascido não é fácil para uma baleia. Após a gestação de 10 a 12 meses, o bebê nasce com quase um terço do comprimento da mãe – o que significa uma criança de quase 10 metros, para a baleia Azul. A baleia espirra o leite na boca do filho através de músculos ao redor da glândula mamaria, enquanto a criança se mantém firme no mamilo (sim, baleias têm mamilos). Com quase 50% de gordura, o leite de baleia têm cerca de 10 vezes mais gordura do que o humano, o que permite à criança ganhar bastante peso – quase 100 quilogramas por dia. 


Atenciosamente,
Equipe Ecoassociados.


ONG Ecoassociados - Conservação de Tartarugas Marinhas, Baobás e Recifes de Corais
Rua das Caraúnas, Porto de Galinhas -Ipojuca - PE
Email: ecoassociados@bol.com.br
Fones: (81) 3552-1943 ou (81) 8744-4265
Twitter: @Eco_Ong
Facebook: Ecoassociados